COMPLEXO MAGAZINE.pt - Revista Digital Conhece as diferentes pílulas contraceptivas?

Conhece as diferentes pílulas contraceptivas?

Pedro Santos

Fique a saber um pouco mais, sobre as variadas pílulas existentes no mercado. Quais os efeitos?

 

Desde a sua aprovação no mercado em 1960, a pílula contraceptiva sofreu várias alterações, estando disponível em várias formulações hormonais diferentes, para que se adapte da melhor forma a cada mulher. Até aos dias de hoje, tem vindo a tornar-se o método de contracepção preferido da população feminina, tendo contribuído para a forma como o sexo é encarado abertamente nos dias de hoje.

Inicialmente, a pílula contraceptiva tinha uma elevada composição hormonal, porém, em 1988 a pílula originalmente formulada e de alta dose foi retirada do mercado, dando lugar a pílulas de baixa dose que ainda hoje estão disponíveis.

A pílula contraceptiva pode ser combinada, tendo presente na sua composição estrogénio e progesterona sintéticos que simulam a ação natural destas hormonas no organismo da mulher, ou ser simples, designando-se mini pílula, onde apenas está presente progesterona sintética.

Conhece as diferentes pílulas contraceptivas?Dentro da pílula contraceptiva combinada podem também destacar-se vários tipos, como a pílula monofásica, cuja concentração hormonal se mantém ao longo do ciclo, a pílula bifásica, com duas diferentes concentrações, a pílula trifásica com três concentrações diferentes e a pílula multifásica com mais de três concentrações diferentes ao longo do ciclo. Este tipo de pílula pode ser tomado durante 21 dias, aos quais se segue um período de pausa de 7 dias, ou no caso de algumas marcas, durante 28 dias sem quaisquer interrupções entre embalagens.

A mini pílula, geralmente recomendada às mulheres que não possam sofrer os efeitos do estrogénio, por serem fumadoras, terem excesso de peso ou estarem a amamentar, deve ser tomada durante os 28 dias do ciclo menstrual, sem alterações nos seus horários de toma sob perigo de perder o seu efeito.

 

Quais os efeitos da pílula?

A pílula combinada impede o processo de ovulação (libertação de um óvulo pelos ovários), bem como espessa o muco cervical e reduz o crescimento do revestimento uterino, impedindo quer a passagem dos espermatozoides como a implantação do ovo fecundado no útero.

Apesar de a mini pílula ter efeitos semelhantes aos da pílula combinada, algumas formulações não suprimem a ovulação por não conterem estrogénio. A sua eficácia não está porém comprometida por a ovulação não ser impedida.

Alternativas à pílula

Atualmente, para além da contracepção de barreira como o preservativo ou outros tipos de contracepção hormonal mais convencionais como o implante ou o DIU, estão disponíveis como alternativa à pílula opções como o anel vaginal e o adesivo contraceptivo. Estas duas opções, de aplicação mensal ou semanal respetivamente, são igualmente eficazes e permitem à mulher uma maior flexibilidade relativamente à sua toma. Para além desta vantagem, o local de absorção é também diferente do da pílula, tendo o anel vaginal absorção ao nível da vagina e o adesivo através da pele.

O autor