Início Cultura e Lazer Exposição mais vista de sempre encerra este domingo

Exposição mais vista de sempre encerra este domingo

105
0

Obras da artista plástica Joana Vasconcelos atraem visitantes do mundo inteiro ao Palácio Nacional da Ajuda

 

A exposição artística individual mais vista de sempre em Portugal, da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, chega ao fim no dia 25 de Agosto. Dado o grande sucesso, a exposição terá horário alargado no fim-de-semana de encerramento, das 10 horas à meia-noite no sábado, e das 10 horas às 21 horas no domingo. O evento acontece no Palácio Nacional da Ajuda e o tempo médio da visita é de 01:30. Os bilhetes para a visita à exposição custam entre 5 euros e 24 euros, e entre 7 euros e 12 euros com o passe dos Comboios de Portugal conjugado. Crianças até cinco anos não pagam.

A exposição, que no dia 13 de Agosto atingiu a marca de 178 mil vistantes, tornando-se a mais vista de sempre, tem lugar nos aposentos reais do Palácio onde estão expostos os trabalhos produzidos durante a última década. Durante o evento será possível apreciar obras icónicas da artista, como ‘A Noiva’, ‘Marilyn’, ‘Lilicoptère’, ‘Perruque’, ‘Coração Independente Vermelho’, ‘O Jardim do Éden’, ‘A Todo Vapor’ e ‘War Games’.

Exposição mais vista de sempre encerra este domingo

Nascida em Paris em 1971, Joana Vasconcelos vive e trabalha em Lisboa. O seu circuito de arte contemporânea é bastante apreciado. Em 2000, venceu o prémio EDP Novos Artistas, e desde então a sua carreira passa por um grande processo de ascenção. Neste momento, Joana Vasconcelos é uma das artistas portuguesas mais importantes e reconhecidas mundialmente. Em 2012, tornou-se na primeira e mais jovem artista mulher a realizar uma exposição no Palácio de Versalhes, numa mostra que reuniu 1,679 milhão de pessoas. Este feito tornou-a na expositora mais bem sucedida dos últimos 50 anos.

Para a artista, o diálogo entre obra e espaço é extremamente importante, sendo por esta razão o Palácio Nacional da Ajuda o lugar perfeito para esta sua exposição. Passado, presente e futuro fundem-se nas obras da artista.