Início Cultura e Lazer GNR menos eletricidade mas maior proximidade

GNR menos eletricidade mas maior proximidade

124
0
GNR menos eletricidade mas maior proximidade

‘Afetivamente’ versão acústica de 30 anos de Carreira dos GNR

 

A banda portuense pega nas canções dos mais de 30 anos de carreira e despe-as para uma formação acústica de baixo, violino e piano. Até o vocalista Rui Reininho promete estar menos elétrico que o habitual para uma maior proximidade com o público, numa atuação marcada para o dia 6 de Julho, às 22:00 horas, no Salão D’Ouro do Casino da Póvoa, com entradas no valor de 20 euros.

Maria Antónia Mendes, mais conhecida como Mitó, da Naifa, Márcia autora de ‘Cabra cega’ e voz do dueto com JP Simões ‘A pele que há em mim’ e Beatbombers, a dupla campeã de ‘scratch’, estão entre os convidados especiais de uma noite que promete surpresas. ‘Afetivamente’ consiste na versão acústica dos temas que marcaram a carreira dos GNR, como foi o caso de ‘Efectivamente, ‘Videomaria’, ‘Sangue oculto’, ‘Dunas’ ou ‘Asas’, entre tantos outros celebrizados na voz de Rui Reininho que promete estar menos elétrico nesta atuação, mostrando, desta forma, um outro lado das suas canções.GNR menos eletricidade mas maior proximidade

Os GNR (sigla de Grupo Novo Rock) são uma banda portuguesa formada no Porto no início de 1980. Foram um dos grupos que melhor corporizaram o chamado pop-rock português no início da década de 1980. Formado, atualmente, por Toli César Machado (bateria), Jorge Romão (baixo) e Rui Reininho (vocalista), a banda conheceu várias formações ao longo dos tempos e também inúmeras polémicas. Mesmo assim, é vista como um dos grandes símbolos da cidade do Porto, por tudo o que sempre significou e ainda pelo carinho que sempre demonstraram pelo povo da zona.

Com cerca de onze álbuns e uma carreira revestida de sucessos e conduzida por um Rui Reininho em excelente forma vocal e devidamente artilhado com o tom irónico, bem-humorado e algo desconcertante do seu discurso e lírica numa noite que, mesmo em formato acústico, promete um reviver da década de ouro do rock/pop português.

Além deste formato acústico, os GNR receberam recentemente a notícia do lançamento de dois vinhos com o selo da banda. O ‘Desnorteado em Estúdio’ e o ‘Desnorteado in Vivo’, que são dois tintos com pronúncia não do Norte, mas do Alentejo. Desta forma, mesmo que se falhe um concerto da banda, pode-se sempre saborear um vinho em sua homenagem a ouvir um ‘Dunas’ e recordar outros tempos.