Início Cultura e Lazer Noite de Danko Jones e a sua irreverência

Noite de Danko Jones e a sua irreverência

136
0

A noite da Complexo Magazine no concerto de Danko Jones

 

A noite abria às 21:00 horas com os suecos Bombus, no palco do Tmn ao Vivo. Fazendo ecoar faixas como ‘Biblical’ e ‘Raised By Pigs’, do seu álbum homónimo, pela sala já bastante composta. Cheios de adrenalina, o seu som meio stoner meio sludge, vibrava e contagiava todos os presentes, servindo como um ótimo aquecimento para o show que se seguia.

Precisamente às 22:03 o musico Danko Jones, o baixista John Calabrese e o baterista Atom Willard  sobem ao palco, da sala onde uma multidão já os esperava ansiosamente. Sempre irreverente ‘Mango Kid’ como é conhecido, arranca e tira os primeiros grandes acordes para delicia dos fãs. Rapidamente se consegue visualizar uma plateia repleta das mais variadas idades e onde o preto era peça essencial do guarda roupa da maioria.

Escutaram-se temas de todos Danko Jonesos álbuns, por isso do alinhamento fizeram parte ‘Had Enough’, ‘Play the Blues’,’ Sticky Situation’,’First Date’, ‘Just a Beautiful Day’, ‘Dance’, ‘Code of the Road’, ‘Sugar Chocolate’, ‘Full of Regret’ (Drum Solo Within) ‘Lovercall Conceited’, ‘Cadillac’ e ‘I Believed in God’.  Já para Encore: ‘I Think Bad Thoughts’, (Black Sabbath’s Iron Man Intermission), ‘Legs Mountain’, foram os temas escolhidos.

Depois da sua marcante passagem pelo Optimus Alive do ano passado, Danko Jones há muito que ansiava voltar a Portugal, isto dito pelo próprio durante a sua atuação. Aliás, chegou mesmo a pedir aos fãs e organizadores que o trouxessem cá a clubes duas ou três vezes por ano, pois confessou que já há cinco anos que esperava por tocar em clubes por terras Lusas.

Ousado, bem disposto, irreverente, foram estes os detalhes que saltaram à vista durante toda a atuação em que comunicou com o público nunca perdendo a compostura mesmo quando um fã mais atrevido lhe roubou o microfone para ‘pedinchar’ temas.

É indiscutível a energia e a força deste músico que na gíria lhe podemos chamar um ‘animal de palco’, pois é contagiante e por isso o publico o segue e acompanha durante cada minuto dum concerto de rock que faz vibrar até o mais cético espetador.

Antes de terminar a sua atuação fez questão de homenagear muitos dos seu ídolos como Ronnie James Dio, Adam Yauch e Jeff Hanneman – guitarrista de Slayer falecido há duas semanas atrás. Mas homenageou também um nome português muito conhecido para os amantes do rock e metal, o de António Freitas, o mais conhecido divulgador português de heavy metal, hard rock e rock fm, graças ao trabalho que há quase duas décadas tem desenvolvido na rádio, na televisão e na imprensa musical. Danko Jones referiu-o como um dos jornalistas de topo e que muitos deveriam ter como exemplo de profissionalismo.