Início Notícias Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

158
0
Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

Simon Cowell revelou numa entrevista que quer que o filho seja seu homónimo ou que tenha o nome do avô.

 

Muita gente considera complicado, embaraçoso e até de mau gosto dar o nome dos pais aos filhos. Simon Cowell, pelo contrário, parece ser dos que pensam ser uma honra ter filhos homónimos.

Em entrevista ao programa Extra, ironicamente apresentado pela sua ex-namorada, Terri Seymour, Cowell revelou as suas duas escolhas para o nome do futuro filho que vai ter com Lauren Silverman.

Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

‘A minha primeira escolha é Simon, porque gosto do nome’, revelou o empresário do mundo da música e da televisão no programa, esta segunda-feira.

A segunda escolha de Cowell, de 54 anos, é o nome do pai, e avô do menino, que nunca o irá conhecer, Eric, que morreu em 1999.

Segundo Simon Cowell explica, ‘o aniversário dele vai ser perto do do meu pai, que ficaria maravilhado e orgulhoso, se estivesse cá para conhecer o neto’.

Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

Simon Cowell planeia também inspirar-se no  pai para educar o filho, tendo revelado que tenciona ‘ficar calmo, não me preocupar muito com o assunto… a forma como eu e o meu irmão fomos educados era muito relaxada. Não foram precisos livros de auto-ajuda’.

Simon pretende também que o filho siga as suas pisadas, e tenciona ensinar-lhe tudo sobre o negócio de família, como explicou no programa, dizendo ‘quero ensiná-lo a fazer o meu trabalho o mais depressa possível. Quero passar as rédeas para outra pessoa. Adoro a ideia de o ensinar a gerir o negócio’.

Simon Cowell quer que filho seja seu homónimo

Simon, que foi a semana passada atacado por fumar perto da namorada, Lauren, depois de ter já revelado que tinha concordado em não o fazer perto do bebé depois do seu nascimento, tinha anteriormente dito à revista ‘Parade’ que apesar de não ter jeito para bebés, achava que se daria bem quando o filho fosse mais crescido, em ‘em termos de o aconselhar’, e quando puder ‘fazer todas as coisas que quero como levá-lo á Disneylândia e aos Estúdios da Universal, e ensiná-lo a conduzir – isso eu adoro’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui