Início Notícias Wentworth Miller confirma a sua homossexualidade

Wentworth Miller confirma a sua homossexualidade

108
0

Wentworh Miller confirma a sua homossexualidade em carta ao presidente Russo, Vladimir Putin.

 

A estrela da série de televisão Prision Break, Wentworth Miller, confirmou, após vários anos de especulação, a sua homossexualidade mas fê-lo de uma maneira pouco convencional: Numa carta ao presidente Russo, Vladimir Putin.

Após ter recebido um convite de Putin para participar no Festival de Cinema Internacional em São Petersburgo, Miller terá recusado, alegando o seu descontentamento com a nova lei posta em prática no país, dizendo que a situação é inaceitável e que não poderia participar de boa-fé numa celebração de um país onde pessoas como ele tinham as suas liberdades básicas de amar e viver negadas.

Wentworth Miller confirma a sua homossexualidade

Miller referir-se-á a uma lei, que entrou em vigor no dia 3 de julho, que bane o estilo de vida gay, lésbico e bissexual e que permite a prisão de turistas que sejam membros da comunidade LGBT. Wilson Cruz, presidente do GLAAD, um blog que se foca nestes temas, deu os parabéns a Miller por ter feito frente a esta lei de uma forma simples, e de o ter tornado público. ‘A mensagem franca de Wentworth Miller mostrou à comunidade LGBT russa que eles não estão sozinhos nesta luta. Assim como as pessoas à volta do mundo estão contra esta lei, mais celebridades e empresas também se deviam impor e seguir o exemplo corajoso que vimos com Miller, contra a lei anti LGBT da Rússia’.

Wentworth Miller confirma a sua homossexualidade

Na carta, traduzida abaixo, pode-se ler as razões de Miller em recusar o convite.

‘Cara Sra. Averbakh:

Agradeço o seu convite. Sendo alguém a quem a Rússia agradou em visitas passadas e tendo também antepassados Russos, faria de mim alguém feliz em poder aceita-lo.

No entanto, como homossexual, devo rejeitar tal convite.

Perturba-me bastante as atitudes do vosso governo contra os gays e as lésbicas do vosso país. Esta situação é inaceitável e não poderia participar na mesma de boa-fé num país onde pessoas iguais a mim têm os seus direitos mais básicos de viver e amar negados.

Talvez, se as circunstancias melhorarem entretanto, poderei fazer uma escolha diferente.

Até lá

Wentworth Miller,

Membro do HRC

Membro GLAAD

Membro The Mankind Project’