Início Acontecimentos WhatsApp vendido por € 11.6 Milhões

WhatsApp vendido por € 11.6 Milhões

134
0
WhatsApp vendido por € 11.6 Milhões

O negócio foi fechado num jantar no dia 9 Fevereiro entre Mark Zuckerberg e o co-fundador da WhatsApp.

 

Mark Zuckerberg e sócios estão a investir forte para tomarem controlo de plataformas cobiçadas pelos internautas. Já são donos do rentável Facebook, depois do Instagram e agora fecham a compra da aplicação de troca de mensagens mais usado pelos jovens, o WhatsApp.

WhatsApp vendido por € 11.6 MilhõesDos US$ 19 bilhões estes serão divididos de maneira específica; ‘US$ 4 bilhões em dinheiro e US$ 12 bilhões em ações, além de US$ 3 bilhões em ações restritas aos fundadores e funcionários do WhatsApp’. Esta é a maior aquisição do mercado tecnológico desde a compra da Time Warner pela AOL por US$ 124 bilhões, em 2001, de acordo com dados da Bloomberg.

Zuckerberg está feliz com a compra e valoriza os dados alcançados pelo fundador do WhatsApp, Jan Koum. “O WhatsApp está a caminho de conectar 1 bilhão de pessoas. Todos os  serviços que atingem um valor como esse têm um valor incrível. Conheço Jan Koum, fundador e diretor executivo do WhatsApp há muito tempo e estou muito animado por me tornar parceiro de sua equipa, a fim de tornar o mundo mais aberto e conectado.”

No site oficial da aplicação, Koum reforçou aos usuários que tudo vai continuar da mesma forma. “Eis o que vai mudar para vocês, nossos utilizadores: nada”, frisou Koum. Segundo ele, a venda fará com que o aplicativo possa expandir-se e garante que o serviço continuará a ser usado apenas por uma taxa nominal.

Alguns estudiosos do assunto acreditam que o valor de compra é considerado absurdo. O diretor geral da empresa especializada em aplicações móveis, MobilePeople, João Moretti impressionou-se com o preço estipulado. “O WhatsApp popularizou-se muito rápido, é difícil encontrar alguém que tenha smartphone e não o use. Mas o valor da negociação é surpreendente”, relatou.

Esta é a 44ª aquisição do Facebook em dez anos de existência, que aliás, foram completados no início deste mês, no dia 4. Como comemoração da sua primeira década, o Facebook lançou uma retrospectiva em forma de vídeo, intitulada “A Look Back”, em que todos os usuários poderiam fazer da sua própria conta. Eram mostradas as fotos compartilhadas, as publicações que levaram mais “gosto”, e a sua trajetória no site desde que se registou.

Sobre a compra do WhatsApp pelo Facebook, já existem brincadeiras na internet a comentar que Zuckerberg já é dono de 18 horas do dia das pessoas e que só falta comprar uma loja de colchões. Piadas à parte, o Facebook tentou lançar aplicativos de troca de mensagens, que os usuários acabaram por não utilizar como o previsto, como o “Facebook Phone”, para Android, e “Facebook Messenger”, para o sistema iOS e Android. ‘Com o WhatsApp, eles compraram um líder no mercado de troca de mensagens por telemóvel com uma massiva base de usuários e com forte e constante crescimento. O ponto fundamental é que o mercado de dispositivos móveis tornou-se muito maior que o de desktops e as mudanças acontecem de forma muito mais rápida”, disse Benedict Evans, analista da Andreessen Horowitz em entrevista ao “Financial Times”.