Início Cultura e Lazer Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer

Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer

393
0
Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer

Este fim de semana Lisboa tem teatro para os mais pequenos e não só.

 

‘Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer’, frase celebre de Carlos Drummond de Andrade é uma das tentativas de definição desta arte de palco. E porque não educar os nossos filhos para o ambiente magico dos teatros de Lisboa e para as histórias que por lá se contam na pele de atores e atrizes que possuem o dom de transfigurar o imaginário.Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer

Assim, durante o fim de semana que se avizinha o oferta teatral para os mais pequenos é bem variada, senão vejamos. O Teatro Villaret tem em cena ‘Menininha’, um musical infantil que narra a história de uma menina, da sua boneca e da sua mãe, ao som do melhor da Música Popular Brasileira para crianças. A história conta-nos as aventuras, e os encantos, de cada descoberta da menininha, enquanto o palco se transforma num grande quarto de brinquedos. Esta peça está em cena no sábado e domingo, com sessões às 10:00 horas e com entradas no valor de 10 euros.

Mas além desta história o Villaret tem também em cena a tão conhecida aventura de ‘Pedro e o Lobo’, também ao sábado e domingo mas com sessões ás 11:00 horas com entradas no valor de 7 euros. Pode assim assistir à historia de um menino pastor, que aborrecido de guardar o seu rebanho grita apregoando a pleno pulmão que havia por ali um lobo, rapidamente fazendeiros vizinhos correm para o ajudar e não havia lobo nenhum, enquanto isso Pedro ria da situação. Até que um dia de tanto repetir a brincadeira, ninguém o levou a sério e desta vez existia mesmo um lobo que lhe ataca as ovelhas. Mais tarde Pedro percebe junto dos fazendeiros que nunca se deve enganar os outros.

Continuando a falar de historias bem conhecidas, chega a vez de ‘A Bela Adormecida’, que se apresenta durante o fim de semana no Centro Cultural da Malaposta no sábado às 16:00 horas e no domingo às 11:00horas sempre com entradas no valor de 6 euros. Este clássico dos contos de fadas, relata-nos a historia de uma princesa que é enfeitiçada e cai num sono profundo, até que um príncipe encantado a acorde com um beijo resultante de um amor verdadeiro.

Apenas no sábado o Teatro Villaret apresenta a ‘Outra História Da Carochinha’ às 16:00 horas com entradas no valor de 7 euros, para assistir a uma versão atual e moderna das personagens Carochinha e João Ratão em pleno cenário de crise económica e que terá um desfecho surpreendente. Nesta versão a Carochinha trabalhando em limpezas, em plena crise económica, encontra uma pasta perdida cheia de dinheiro. Achando que chegou a altura de se casar fala com a sua amiga cigarra que é empresária para tentar achar um noivo. João Ratão, estudioso livreiro e apaixonado, não reúne as condições para despertar a paixão da Carochinha. Um Burro bailarino, um Galo cantor, um Touro gago, um Gato romântico e um Porco oriental perfilam-se como candidatos perante uma Carochinha rica mas que não perde de vista o mais importante: ser conquistada pela via do amor.

Outra opção é a oferecida pela Quinta Da Regaleira, também no sábado por volta das 17:00 horas que presenteia os seus visitantes com a peça ‘As Aventuras De Pinóquio’ mais uma historia clássica aqui contada ao ar livre pelo que se recomenda a utilização de chapéu, óculos de sol, protetor solar e água. A fim de criar as melhores condições para assistir à historia de Gepeto, a quem é oferecido um tronco de madeira pelo qual logo se enamora. Trabalhando nele afincadamente cria a marioneta Pinóquio que com a sua personalidade impertinente e curiosa, vai em busca das aventuras mais incríveis sempre em busca do seu maior desejo, ser um menino de verdade. Não obedecendo a Gepeto, Pinóquio descobre por ele mesmo as dificuldades da vida.Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer

Enfim todas estas opções são uma boa forma de levar a criançada aos encantos do teatro, pois como diria Amir Haddad, ‘o sonho do teatro não é se eternizar, mas falar com clareza, emoção, beleza, poesia e compreensão para o cidadão do seu tempo’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui