Início Cultura e Lazer O que fazer em Lisboa no fim de semana: 2 a 5...

O que fazer em Lisboa no fim de semana: 2 a 5 de maio

180
0

Todo o Fim de Semana

ROCK: No Stress é um projeto de Joana França, onde são feitas covers dos temas do estilo, com especial destaque para o sabor dos temas mais vibrantes e conhecidos dos anos 80 e 90. Dos INXS a Oasis, poderá ser brindado com “aquela música” espetacular de outros tempos. De 1 a 5 de abril, no Casino Estoril. Sexta e sábado, pelas 21h30; os restantes dias, às 21h15. A entrada é gratuita.

Nina Somone:  Selma Uamusse atua no Onda Jazz, de 2 a 30 de maio, às quintas feiras, onde homenageia a cantora norte-americana, dedicando todo o espetáculo aos principais temas de Nina Simone. Pelas 21h30. A entrada é gratuita.

JAZZ: De origens e gerações distintas, o músico Bruno Santos Quinteto apresenta um projeto de raiz que funde os talentos de João Moreira (trompete), Jeffery Davis (vibrafone), Nelson Cascais (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria). No Hot Clube de Portugal, de quinta a sábado, pelas 22h30. Entradas a 7€.

À semelhança das edições anteriores, o Out Jazz volta a ter lugar em Lisboa e estende-se até dia 26 de maio. Tem início dia 5, domingo, e vai contar com Carlos Martins Quarteto + Johnny. Será no Parque Tejo, no Parque das Nações, e tem início às 17h00. A entrada é gratuita e decorrerá até ao anoitecer. Jazz, concertos e depois um DJ para terminar. Mais info aqui.

A celebrar meio século de carreira, Paulo de Carvalho continua a percorrer o país de lés a lés e apresentar os temas que o celebrizaram como “E depois do adeus” ou “Cacilheiro”, remisturados para a sonoridade atual. Desta vez, será no Onda Jazz, no Arco de Jesus, que contará com a colaboração de Victor Zamora (piano), Leo Spinoza (baixo), Marcelo Araújo (bateria), Ruca Rebordão (percussão). Sexta e Sábado, sempre pelas 22h30.

 ’50 anos 50 músicas’: um espetáculo que vai ao encontro das canções que marcaram meio século (1923-1983) e a Constituição da Democracia. Paradise Garage. As sessões iniciam-se às 21h30, às sextas e sábados, e às 16h aos domingos, nos meses de Abril e Maio de 2013, na primeira temporada. Bilhetes a 17€ com descontos para grupos.

MÚSICA CLÁSSICA: Elisabeth Leonskaja é dada com uma das melhores intérpretes da música de câmara e regressa à Fundação e Museu Calouste Gulbenkien, ao Grande Auditório. Este sábado e domingo, às 19h00. Os bilhetes custam entre os 16€ e os 22€.

Paul Lewis e Orquestra Gulbenkian  tocam Concerto para Piano e Orquestra nº.1 de Brahms – com o pianista inglês Paul Lewis como solista – e a Sinfonia n.º 2 de Schumann, sob a direção de Ainars Rubikis. Na Fundação e Museu Calouste Gulbenkian, no Grande Auditório. Esta quinta feira, pelas 21h00 e sexta feira, às 19h00. Entradas compreendidas entre os 11€ e os 22€.

FADO: A canção lisboeta é celebrada no espetáculo “Fado in Chiado”, que terá lugar de quinta a sábado às 19h, como é habitual neste espaço.

CINEMA: Os filmes que vão ter a sua estreia esta semana são: “A Noite Dos Mortes Vivos”, “O Capital”, “Fogo Contra Fogo”, “O Grande Dia”, “República de Minius”, “Viagem de Finalistas” e “Um Pedacinho de Paraísdo”.

TEATRO: ‘Pequenas Comédias’ é uma peça do encenador António Pires que partiu dos textos originais do francês Georges Feydeau, um dramaturgo que alia a sátira e comédia ao lado quotidiano de todos nós.  No Teatro do Bairro. De quinta a sábado às 21h30; domingo às 17h00. Preço do bilhete está nos 12€ (com descontos).

“A Estalajadeira” é uma adaptação e encenação de Jorge Silva Melo, a partir do texto de Carlo Goldoni. É uma produção dos Artistas Unidos, e fala das mudanças do mundo e como aquilo que é velho está a dar lugar à irrequietação do que é o novo. No Centro Cultural de Belém, no Pequeno Auditório. Todos os dias, exceto quarta feira. Segunda a Sábado, às 21h00; Domingo, às 16h00.

“A Curva da Felicidade” é uma peça escrita e encenada pela dupla espanhola composta por Eduardo Galàn e Pedro Gomez, que aqui é dirigida por Celso Cleto e que conta com os já veteranos nestas andanças, João de Carvalho, Luís Aleluia, Luís Mascarenhas e Victor Espadinha. A história baseia-se na vivência de quatro homens a enfrentar uma crise de meia idade que decidem partilhar uma casa e espaço. Na Casa do Artista – Teatro Armando Cortez, e estará em cena até ao próximo dia 8 de Junho. Quinta e sexta às 21h30; Sábado em dose dupla, com sessões às 16h00 e às 21h30. Bilhetes a 15€.

“Beijinho ao Pai, Beijinho à Mãe” é de José Relvas, radialista, que deu a mente ao manifesto e criou um musical em tornos de comédia, interpretada pela dupla Anna Carvalho e Bruno Pópulo. A história tem como pano de fundo dois jovens, ainda a viverem debaixo da casa dos pais, e que recordam temas da música popular portuguesa. Em Linda a Velha, no Auditório Municipal Lourdes Norberto. Quinta às 15h, Sábado às 17h00.

“Guru” é uma encenação de José Pedro Gomes e que conta com 4 nomes bem conhecidos: Rui Unas, Custódia Gallego, Heitor Lourenço e Susana Mendes e tem a sua estreia hoje, dia 2. Aproveitando o cenário da crise política e financeira que o a país atravessa, a história centra-se na ministra das Finanças que, estando dentro do volte face em que o país mergulha, pede ajuda a um Guru (Unas) para que a ajude, tanto na vida pessoal (o seu casamento está ruir aos poucos) como na profissional (Orçamento de Estado está com uns problemas complicados). No Casino de Lisboa, no Auditório dos Oceanos. Pelas 21h30, de quinta (10€ neste dia) a sábado (15€ a 20€, nos restantes); às 16h00, no Domingo.

EXPOSIÇÕES: LandArt Cascais 2013 – Festival de Arte na Paisagem, é um espaço que promeve o contato direto entre a cultura (nas suas várias formas) e a natureza. Existem oficinas, workshops e outras atividades, bem como muita música e um ambiente criado em torno da discussão onde o tema primordial é a arte.

“A Obra perdida de Emmeric Nunes” é uma exposição dos desenhos que julgavam perdidos do autor que agora são expostos no Centro de Arte Moderna. Com descendência portuguesa e a dividir a sua vida entre Portugal e Alemanha, os desenhos retratam a visão humorística do autor. Terça a domingo, das 10h00 às 18h00. Bilhetes a 5€.

“Arte Portuguesa 1850-1975” é a nova exposição permanente do MNAC – Museu do Chiado, onde estão expostas 100 peças, cronologicamente organizadas e por período. Terça a domingo, das 10h00 às 18h00.

“Baixa em Tempo Real” é uma exposição bastante interessante e já a pensar na nova geração, inteiramente ligada às novas tecnologias e que o seu quotidiano já não abdica. Sendo interactiva, esta exposição recorre ao digital para mostrar uma visão diferente da baixa pombalina. Para além da galeria multimédia e táctil, existe uma ligação em tempo real da Baixa, em realidade aumentada. Está dividida em três pisos na Galeria Millenium, e procura recuperar e cativar os mais jovens (e não só) a este tipo de eventos. É um projeto do Departamento de Museologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, e faz parte integrante da programação oficial do Ano de Portugal no Brasil. Até o dia 24 de maio. Segunda a sábado das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. A entrada é gratuita.

“World Press Photo” As fotografias vencedoras do World Press Photo 2013 vão estar em exposição no Museu da Eletricidade de 3 a 26 de Maio. Estará aberta ao público todos os dias. De Terça a Quinta, das 10h00 e as 18h00; sexta, sábado e domingo, das 10h00 às 24h00. O destaque, porém, vai para o foto jornalista português Daniel Rodrigues, que fora distinguido na categoria “Vida Quotidiana” e que fotografou um grupo de crianças a jogar futebol, na Guiné-Bissau (mas poderá ser mais conhecida a história de que este galardoado fotógrafo tenha tido a necessidade de vender todo o seu material para poder sobreviver, pois não teria quaisquer apoios).

DANÇA: Inspirado no período de ouro do cinema norte-americano, a Companhia Nacional de Bailado traz o glamour e encanto que conduziu os filmes da época de 40 e 50 ao sucesso, com o espetáculo Dance, Bailarina Dance!. No Teatro Camões. Sexta e Sábado, às 21h00: Domingo, às 16h. Bilhetes entre os 5€ e os 25€.

 

Quinta Feira, dia 2

CONCERTOS: Desde o primeiro álbum, “Transfado”, em 2004, que Anamar não se lançava com novo material em nome próprio. Agora, no Teatro Municipal S. Luiz, apresenta o segundo disco de originais, “Anamar”, voltando a cruzar o fado e um som mais contemporâneo. Às 21h00, na Sala Principal, e os bilhetes situam-se entre os 10€ e 13€ (sujeitos a desconto).

Kaki King & Frankie Chavez atuam para os fãs de guitarradas. De um lado o génio da norte-americana que vem tocar certamente faixas de “Glow”, editado o ano passado; do outro, o português Frankie Chavez que toca quase tudo o que envolva cordas – coisas que vão da guitarra portuguesa aos blues, por exemplo. No Centro Cultural de Belém, no Grande Auditório, pelas 21h00. A 15€!

Zé Paulo Becker e Semente Jazz | Aline Calixto atuam no Espaço Brasil (Lx Factory) são as propostas da casa para começar a semana. Becker juntamente com a banda Semente Jazz apresentam clássicos de choro e MPB, em contornos modernos e com uma sonoridade atual. Aline Calixta, canta e encanta com samba, com o espetáculo Flor Morena.

 

Sexta Feira, dia 3

CONCERTOS: Os “Deolinda“, portugueses de gema, já dispensam apresentações, pois já todos cantarolaram,  numa ou outro ocasião, um momento ou refrão das letras de Ana Bacalhau. Este fim de semana, apresentam “Mundo Pequenino”, depois de “Dois Selos e um Carimbo”, segundo disco e galardoado com o Prémio Zeca Afonso. Neste novo trabalho,  temos uma vez as mensagens humorísticas a que nos habituarem, em canções como no single de apresentação, “Sejs Agora”. No Coliseu dos Recreios, às 21h30. Bilhetes dos 20€ aos 30€.

Os “Coldfinger” regressam aos trabalhos de originais, desta feita com “The Seconds”, que sucede ao disco de 2007, “Supafacial”. No MusicBox, a partir das 23h30. As entradas estão fixadas nos 10€

Eduardo Gallotti & Luís Filipe de Lima + Casuarina é a proposta do Espaço Brasil (Lx Factory), na semana “Os Sambas do Brasil”. Às 22h30 e as entradas custam 5€.

CABO VERDE – Um Mundo de Música é um espetáculo que pretende celebrar a música sobre a emigração e toda a contenda por detrás das várias gerações da ex-colónia portuguesa e que pretende homenagear as raízes e história daquela nação através das vozes de distintas gerações que vão desde Marino Silva e Nha Djena, a Abílio Duarte ou Eugénio Tavares. Na Aula Magna, e os bilhetes custam entre os 10€ e os 20€.  Início marcado para as 21h00.

ESTUDANTES: A ter lugar no Museu da Carris, a primeira edição do Mega Arraial Académico, promovido pela Associação Portuguesa de Estudantes Florestais, convida todos os estudantes e aqueles que queiram participar na festa, que prometem, é de arromba e é mega. Com atuações de tunas, num primeiro momento, e depois com concertos de Quim Barreiros, Capitão Ortense, FUNKyou2 – The Party Rockers!, Drop Top, Meninos da Vadiagem, DJ Yont e Hugo Rizzo, prometem animar a noite que durará certamente até altas horas. Para quem está preocupado com a condução ou qualquer excesso que possa acontecer, não se preocupe: a organização diz haver boleias gratuitas de ida e volta. Bilhetes custam 7€ (normal), sócios (6€), alunos bolseiros (4€) e à porta (10€).

MÚSICA INDIANA: As articulações e desmembramento do ritmo embutido na cultura musical oriental ficará aqui patenteada no Rhythm Yatra, no Museu do Oriente, cujo nome traduzido será “jornada do ritmo”. Para os amantes da música/arte indiana, fica uma sugestão bastante interessante. Às 21h30 e as entradas custam 12€.

MÚSICA CLÁSSICA: A Orquestra Metropolitana de Lisboa dirigida pelo maestro Nir Kabaretti, interpreta composições de Carlos Filipe Cruz e Francisco Chaves (vencedores do Concurso Novos Compositores) e serão articuladas com peças de Lopes-Graça e Haydn. Na Universidade Nova de Lisboa, no Auditório. Às 21h00 e as entradas custam 10€.

RIR: “Mulheres ao Palco” é isso mesmo que o nome indica: mulheres que vão contar piadas e provar que têm um sentido de humor tão ou mais apurado que os homens. Aqui, ninguém fica de fora: nem homens, nem mulheres. Tudo serve para fazer rir. No Teatro Villaret, às 23h45. Bilhetes fixam-se nos 10€

 

Sábado, dia 4

CONCERTOS: “Rita Guerra & Amigos” é um espetáculo da cantora portuguesa que convida os HMB, Cais Sodré Funk e Connection e Tananka para darem um novo tom à sua musicalidade. No Centro Cultural de Belém, no Grande Auditório. Os preços situam-se entre os 10€ e 20€.

Os Tora Tora Big Band apresentam o novo disco, “Salteado”. Será no MusicBox, e é o trabalho que sucede a “Tora Tora Cult”, que é uma mescla de sonoridades e abrem os horizontes do jazz, onde se mistura eletrónica com funk ou ritmos africanos/latinos. Entradas a 5€.  

Pedro Abrunhosa & Comité Caviar tocam num concerto de beneficência, pela Prevenção e Promoção de Saúde, onde o mítico cantor português faz uma viagem entre 94 (lançamento de “Viagens”, o seu álbum de estreia) e 2010 (data de “Longe”). A receitas serão revertidas para a Associação Dianova Portugal. No Pavilhão Multiusos Expotorres, em Torres Vedras, pelas 21h30. Bilhetes a 10€.

FADO: Alexandra e Gonçalo Salgueiro abraçam o fado e apresentam o espetáculo “Abraço Lusitano”, onde as vozes do dueto caminham sobre as viagens históricas da música mais nobremente portuguesa. Cinema-Teatro Joaquim D’Almeida, Montijo. Pelas 21h30, e os bilhetes custam entre os 10€ a 15€.

Mafalda Arnauth e Conservatório de Música de Sinta, abrem um uníssono comum, onde alunos e professores do Conservatório, trabalham algumas das suas composições com arranjos de Miguel Almeida, onde se faz uma viagem por 14 temas da fadista. No Centro Cultural Olga Cadaval, no Auditório Jorge Sampaio. Pelas 21h30, e os bilhetes custam entre os 7,5€ e os 15€.

RIR:  “Duelo Improvisado” é um espetáculo de teatro de improviso, onde em palco estão duas equipas cuja missão é arrecadar as gargalhadas por parte dos espetadores. No Teatro Villaret, às 21h30. Entradas a 12€.

TEATRO: “Pecados de Gula” é uma encenação de Macantónio Del Carlo em formas de palestra teatral, onde se bebe e come as palavras de famosos escritos de poetas e romancistas portugueses. Conversas em torno de comida (onde há um Chef verdadeiro a cozinhar em palco, acrescente-se; neste caso, é Manuela Martins do restaurante Doca Peixe) e onde Marcantónio Del Carto é protagonista com Marta Nunes e Cristóvão Campos, nesta divertida comédia sobre cozinha literária. No Castelo de São Jorge, às 16h00. Bilhetes a 6€.

“Revelação” é uma criação desenvolvida e produzida por a Mala Voadora em conjunto com a comunidade local do Barreiro, onde apoiados na obra “Os Demónios” de Dostoiévski, onde é relatada a participação do cidadão comum, quando acontece o despoletar do comunismo. No Barreiro, no Auditório Municipal Augusto Cabrita, às 21h30. A entrada é gratuita.

DANÇA: “Solos” é um conjunto de pequenos trechos de coreografias retiradas de outros espetáculos (Os solos a apresentar pertencem às peças “Confidencial” (2004), “Daqui em Diante” (2006), “Inferno” (2008),” Nortada” (2009) e “Interiores” (2009).), da Companhia de Dança Olga Roriz.

 

Domingo, dia 5

FESTIVAL: Lisboa Night + Day: The XX com Chromatics, John Talabot, Mount Kimbie, Paus, The xx (concertos); James Murphy, Jamie xx (ainda em março passou pelo Lux na festa de abertura do Festival), Kalaf, Kim Ann Foxman e Xinobi (DJ sets). No Jardim da Torre de Belém, pelas 16h00 e prolonga-se noite dentro. Os Bilhetes estão disponíveis por 49€.

Um dos momentos mais esperados do fim de semana e, verdade seja dita, tirando dos Festivais de Verão que não tardam a chegar. Em ponto mais reduzido, mas com um conceito renovado, Lisboa foi a par de Londres (23 dee Junho) e Berlim (18 de maio), a cidade escolhida para acolher um Festival de Música, íntimo e caseiro (se aqui é permitido que assim falemos), organizado pelo grupo britânico The XX. Se o nome dos mestre de cerimónias que organizam todo o evento já fosse suficiente para capitalizar atenção dos fãs do nosso país, chamar mais uns amigos, com toda a certeza que apelam ainda mais a que a água na boca cresça um pouco (passe a redundância). Nas palavras de Sílvia Pereira, do Público, um pequeno resumo dos espetáculos:

CONCERTOS:

Chromatics | A banda norte-americana chamou a atenção com o caos sensual de “Night Drive” (2007), álbum que incluía canções como “Running up that hill” (versão para o tema de Kate Bush). O sucessor foi lançado em 2012 e chama-se “Kill for Love”.

John Talabot | O produtor catalão tem em mãos “fIN”, um álbum que boa parte da crítica se apressou a apontar como um dos melhores de 2012. A BBC, por exemplo, aconselhou: “arquivem Talabot ao lado dos The Field ou de Nicolas Jaar como um produtor que se mantém na frente por seguir exclusivamente as suas próprias regras”.

Mount Kimbie | O duo britânico regressa a Portugal com as delicadezas electrónicas de “Crooks & Lovers” (2010), álbum muito bem classificado entre a imprensa especializada, e do EP “Carbonated” (2011). No alinhamento já devem surgir temas do segundo longa-duração, “Cold Spring Fault Less Youth”, com edição prevista para 27 de Maio.

Paus | O aplaudido disco de estreia homónimo dá o mote à actuação da imparável máquina rítmica construída a partir da bateria siamesa de Joaquim Albergaria (ex-Vicious Five) e Hélio Morais (If Lucy Fell, Linda Martini).

The xx | A estreia homónima do grupo inglês foi um dos discos mais celebrados de 2009. A ambiência minimal, descarnada, quente e circular de temas como “Islands”, “Crystalized” ou “Shelter”, transformou em celebridades quatro tímidos miúdos de Londres, nos seus 20 anos de idade (três, desde a saída de Baria Qureshi). À enorme expectativa que rodeava o segundo álbum, responderam com “Coexist”, que revela a mesma linha em canções como “Angels” ou “Chained”.

DJ sets: 

James Murphy | O nova-iorquino é “simplesmente” o mentor do projecto LCD Soundsystem e, coincidência!, o fundador da DFA. Tem tantas credenciais como produtor que chegou a ser chamado de “Pharrell Williams do punk-funk”. Mas tentar colocar-lhe uma etiqueta é tarefa capaz de dar nós na cabeça de qualquer um – e juramos que ele se diverte com isso. Dentro da sua música há indie, há rock, há batidas e há linhas de baixo demasiado sedutoras para serem apenas uma coisa.

Jamie xx | Depois de ter estado no Lux, em Março, a fazer o aquecimento para o Lisboa Night + Day, Jamie Smith, dos The xx, não podia deixar de se apresentar em nome próprio, como DJ, no festival da sua banda.

Kim Ann Foxman | A DJ nova-iorquina, que muitos conhecerão do trabalho para o projecto Hercules & Love Affair, também tem colaborado com os The xx. Pertence-lhe, por exemplo, a autoria de uma remistura para o tema “Sunset”.

Xinobi | Espera-se que o Bruno Cardoso leve ao festival um pouco do espírito das noites Discotexas, que são alimentadas pela etiqueta de que é co-fundador.

MÚSICA CLÁSSICA: Sob a voz da solista Nancy Viera e a direção de Daniela de Brito e Ricardo Mota, mais de 50 jovens violoncelistas (as idades vão dos 5 aos 15), apresentam “Os Violoncelinhos”. No Centro Cultural de Belém, às 16h00. Os bilhetes custam entre os 10€ e os 12€ (estando sujeitos a desconto).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui